ATENÇÃO: o texto a seguir possui spoilers da primeira temporada de Mindhunter.

A série Mindhunter (Caçador de Mentes no Brasil) mostra como foram feitos os primeiros estudos de psicologia forense no FBI. Mesmo contendo entrevistas impressionantes com seriais killers, um dos maiores mistérios da série criada por Joe Penhall é um gato.

Ao longo da primeira temporada, vemos que a psicóloga Wendy Carr (Anna Torv) escuta um gato miando quando estava na lavanderia do seu prédio. Wendy é responsável por ajudar Holden Ford (Jonathan Groff) e Bill Tench (Holt McCallany) a desenvolverem uma pesquisa sobre os assassinos em série.

Ao perceber a presença do animal, Wendy passa a deixar latas de atum na janela da lavanderia. Apesar de nunca ter visto o gato, Wendy deixava toda noite alimento para ele e na manhã seguinte recolhia a lata vazia. Algo inusitado acontece quando a psicóloga vai recolher a última lata deixada por ela: o recipiente de metal estava cheio e coberto de formigas. O que teria acontecido com o gato?


Como a série não aprofunda no assunto, cabe ao expectador tirar suas próprias conclusões. Durante uma entrevista ao site TVline, a atriz Anna Torv relatou qual foi a sua percepção inicial sobre este mistério: "Eu achei muito interessante quando li o roteiro. Pensei que esse gatinho representava todas as vítimas anônimas, pois só notamos aquelas que tem famílias procurando por elas. Então, tem esse bicho abandonado que ninguém liga. Se fosse uma pessoa, seria o mesmo".

Esta, no entanto, não era a intenção que diretor David Fincher quis passar ao criar tais cenas. "A ideia era sugerir para o público que tinha uma criança nesse prédio que estava matando gatos. Então, seria o nascimento de um novo sociopata sobre o qual ainda não sabemos nada. Pois é assim que começa: machucando animais."

Esta então é a solução oficial por trás do mistério do gato da lavanderia. O que achou? Você tinha a sua própria teoria sobre o gato e a lata de atum?

Veja mais sobre Mindhunter:
└ Análise da série Mindhunter (1ª temporada)