Um dos cenários principais da série brasileira Irmandade, protagonizada por Seu Jorge e Naruna Costa, é a Penitenciária Coronel Roberto Tibiriçá. Na atração da Netflix, o presídio está localizado na cidade de Itapeva, no Estado de São Paulo. Mas será que ele existe na realidade?

A resposta é não. A Penitenciária Coronel Roberto Tibiriçá é uma criação da série. Mas isso não quer dizer que as cenas que você viu não são reais. Irmandade foi grava em uma ala desativada da Penitenciária Central do Estado, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. Para fazer o registro das cenas, o elenco e a produção tiveram que se adaptar às regras do local, como o controle de acessos e os horários.

"Passávamos o dia inteiro trabalhando no ambiente prisional e só saíamos à noite, no fim do expediente. Praticamente ficamos em regime semifechado. Mas a verdade é que foi a melhor coisa ter gravado na prisão. Para te dar um exemplo mais claro: a 500 metros do set, o telefone já cortava. E todo dia, quando a gente entrava, passava por uma revista, raio X, entregava a identidade, ou seja, tínhamos de viver as regras do lugar como todo mundo ali.", disse Seu Jorge.

Os presos que estavam nas alas vizinhas conseguiam acompanhar parte das gravações, como também relatou o ator: "Ali eu compreendi como é maravilhoso é a liberdade. Uma das cenas mais especiais foi a que fizemos no teto com as armas todas e nas celas do outro lado os caras estavam assistindo e gritando 'representa nós'. Ali você vê que não é brincadeira. Isso interfere. Joga pra cima e também nos intimida.".

Veja mais sobre Irmandade:
└ Análise da série Irmandade (1ª temporada)