Desde que aceitou a participar de um esquema de lavagem de dinheiro para salvar sua própria vida, Marty Byrde (Jason Bateman) não tinha a mínima noção da fria em que ele e sua família estavam entrando. A sua mudança para a região do lago de Ozarks foi uma das coisas mais aleatórias que o consultor financeiro poderia ter feito em um momento de extremo desespero, afinal, com base em um panfleto, ele fez a promessa de lavar 500 milhões de dólares em um local que ele sequer conhecia.

Abandonado tudo o que havia construído em Chicago, Marty, junto com sua mulher, Wendy (Laura Linney), e seus filhos, Charlotte (Sofia Hublitz) e Jonah (Skylar Gaertner), recomeçam suas vidas do zero. Para lidar com tanto dinheiro, os Byrde precisam encontrar negócios que sejam capazes de mascarar toda a operação ilegal. A missão em Ozarks não será fácil, já que simples presença deles acaba incomodando os Langmore e os Snell, duas famílias tradicionais e com referências não tão positivas na região. Marty e Wendy começaram investindo na pousada e restaurante Blue Cat e depois adquiriram uma funerária, que passa a ser bem útil para dar um fim nos corpos das pessoas que acabam sendo mortas devido aos conflitos que surgem. O investimento mais ousado do casal ganhou grande espaço segunda temporada, quando ambos uniram suas forças para conseguir uma licença para abrir e comandar um cassino.

A terceira temporada inicia com o seguinte panorama: Marty e Ruth (Julia Garner) gerenciam as operações de cassino Missouri Belle, Wendy e Charlotte cuidam das relações públicas dos Empreendimentos Byrde, e Jonah segue ganhando dinheiro com a mineração de criptomoeda. Para tentar melhorar o relacionamento entre seus pais, Charlotte pede para que Marty e Wendy façam terapia de casal. A perspectiva, no entanto, não é muito positiva, já que ambos subornam a terapeuta, Sue Shelby (Marylouise Burke), para que ela seja parcial durante os encontros. Isso denota a total falta de sincronia do casal: eles estão cada vez mais discordando um do outro e precisam que um terceiro indique quem está certo.

Diferente de Skyler, que adotava uma postura passiva com relação às atitudes de Walter White em Breaking Bad, Wendy resolve começar a dar pitacos na operação comandada pelo marido. O pior é que quando Marty não concorda com suas ideias, Wendy procura outras pessoas, como a advogada Helen Pierce (Janet McTeer), e consegue contato direto com o líder do cartel, Omar Navarro (Felix Solis). Enquanto Wendy acredita que o cartel de Navarro deve expandir suas operações nos Estados Unidos para ter também negócios legítimos, Marty acha que o plano é muito arriscado. Navarro gosta da ideia de Wendy, mas a expansão dos negócios acaba chamando a atenção do FBI, que envia a agente especial Maya Miller (Jessica Francis Dukes) para fazer auditorias diárias no Missouri Belle, complicando ainda mais a já nada fácil vida de Marty. Não só isso: a falta de concordância entre o casal faz com que Omar comece a desconfiar de Marty, fazendo ele passar momentos difíceis.

O FBI não será a única preocupação dos Byrde. De surpresa, o irmão de Wendy, Ben Davis (Tom Pelphrey), aparece e manifesta o seu desejo de ficar um tempo em Ozarks, já que há contra ele um mandado de prisão aberto no estado da Carolina do Norte. Pouco depois de se acomodar na casa da irmã, Marty pede para que ele vá embora. Ben, entretanto, ignora o cunhado, permanece no local e acaba criando uma boa relação com Jonah, seu sobrinho. Aos poucos, Ben vai tomando conhecimento das atividades em que Marty e sua irmã estão envolvidos, ao mesmo tempo em que se apaixona por Ruth. Há, porém, um problema: Ben tem transtorno bipolar e para de tomar sua medicação controlada. Descontrolado, ele pratica algumas ações que geram consequências imediatas, colocando praticamente todo mundo em risco.

Enquanto lá no México, o cartel de Navarro está enfrentando uma guerra com os rivais, a situação nos EUA está um pouco mais calma, se comparada com os apertos das temporadas passadas. Dentre as questões externas, o grande problema acaba sendo Frank Cosgrove Jr. (Joseph Sikora) o filho do mafioso de Kansas City com quem Marty tem um acordo. Darlene Snell (Lisa Emery) parece estar aparentemente mais controlada, apesar da fazendeira ter tomado uma medida mais drástica na reta final da temporada. Enquanto suas papoulas ainda estão crescendo, Darlene começa a planejar a forma com que fará a distribuição da heroína, o que deve apimentar uma eventual quarta temporada. O desfecho da temporada indica que Bill Dubuque e Mark Williams, criadores da atração, pretendem continuar a história, mas tudo agora depende da Netflix.


Considerações finais
Se nas duas primeiras temporadas Wendy não era uma personagem com grande destaque, a terceira temporada parece ter sido inteiramente focada em elevar sua importância dentro da narrativa da série. Wendy cresce tanto que acaba até mesmo ofuscando a figura de Marty, que sempre esteve na posição central da história. A falta de diálogo entre o casal faz com que um deles seja pego de surpresa mais de uma vez, passando uma imagem não tão positiva para as pessoas do cartel. Nos momentos mais complicados, Marty e Wendy precisam superar todos os problemas existentes para lutarem juntos em prol de suas vidas e da segurança de seus filhos.

Ozark é uma série que tem um elenco feminino muito forte e marcante: Laura Linney, Janet McTeer, Julia Garner e Lisa Emery estão incríveis em seus papéis, ainda que as duas últimas tenham ganhado menos espaço em relação aos anos anteriores. Jason Bateman mais uma vez manda muito bem ao viver Marty; Bateman também dirige os dois primeiros episódios da temporada. Não posso deixar de mencionar o excelente trabalho de Tom Pelphrey, que foi a grande surpresa da temporada. Fotografia e direção, assim como nos anos anteriores anteriores, são pontos positivos do seriado, entregando para o espectador belíssimas cenas. A narrativa foi muito bem construída, apresentando ao público uma série de eventos que caminha muito bem para o desfecho da atração: um episódio final simplesmente espetacular e surpreendente. O somatório de tudo isso faz desta a melhor e mais consistente temporada de Ozark.

Nota
★★★★★ - 5 - Excelente


Veja mais sobre Ozark:
└ Análise da série Ozark (1ª temporada)
└ Análise da série Ozark (2ª temporada)

➜ Você pode ver análises de outras séries clicando aqui.