Ovi Mahajan Sr. (Pankaj Tripathi), é o maior traficante de drogas da Índia. Preso em uma penitenciária, Mahajan Sr. perde completamente a cabeça quando seu filho, Ovi Mahajan Jr. (Rudhraksh Jaiswal), é sequestrado por Amir Asif (Priyanshu Painyuli), um grande traficante de Bangladesh. Tyler Rake (Chris Hemsworth), um ex-operador do SASR, é então contratado para fazer o resgate do garoto. A operação tinha que ser executada em menos de 24 horas, já que o prazo estipulado para o pagamento e liberação de Ovi Jr. estava se esgotando.

Tyler parece não ter nada a perder. Logo no começo do filme, enquanto estava com alguns amigos na Austrália, o mercenário realiza um grande salto e, no fundo do mar, mostra a potência do seu fôlego. A princípio, parecem ser apenas cenas para mostrar a coragem e as habilidades do protagonista, mas no decorrer das 2 horas de duração, o próprio filme cuida de dar as cenas um outro significado ao fazer referências a esses momentos iniciais. Posteriormente, quando é contatado por Nik Khan (Golshifteh Farahani) para executar a missão em Bangladesh, Tyler não hesitou em aceitar o trabalho.

Quando já estava na cidade de Daca, cumprindo o objetivo, Tyler é comunicado que quem contratou seus serviços estava se recusando a realizar o pagamento. Como se não bastasse ter que lidar com os homens de Amir e a forte presença da polícia (onde Amir também tem forte influência), o capanga do pai de Ovi, Saju (Randeep Hooda), também estará no seu caminho. Além de prezar pela proteção de sua família, Saju também quer retirar Ovi do caos instaurado na capital de Bangladesh. O menino é tratado como um objeto por Tyler e Saju até ambos perceberem que um precisará da colaboração do outro para que a operação seja concluída com sucesso.

Resgate (Extraction, no original) apresenta uma história extremamente simples e superficial, não fugindo muito daquilo que descrevi acima. O pouco que sabemos sobre o passado do protagonista, bem como um drama por ele vivenciado, é revelado em apenas uma linha de diálogo. Os diálogos, por sinal, quase não existem. O ponto positivo é que o personagem de Chris Hemsworth, responsável por ditar o tom da película, é carismático e rapidamente ganha a simpatia do público por méritos exclusos do ator. Hemsworth desempenha uma excelente performance, principalmente nos momentos em que foi mais exigido, como nos confrontos corpo a corpo. Destaco também a contribuição feita pela equipe de dublês no intuito de tornar as cenas de impacto o mais realistas possível.

Se a narrativa não é o ponto alto do filme dirigido por Sam Hargrave, o longa não decepciona em nenhum momento nas cenas de ação. Há uma quantidade enorme de tiroteios, embates corporais e perseguições nas ruas de Daca. A invencibilidade de Tyler pode incomodar alguns, mas não dá para negar o quão bem feitas são as cenas em que o personagem mostra suas aptidões. A ação é um elemento tão presente no filme que a violência excessiva acabou sendo apontada por alguns como um ponto negativo. O final aberto a interpretações gera muitas discussões. Eu faço parte do time otimista, e você?

Não posso finalizar o texto sem mencionar a excelente plano-sequência que temos no meio do filme: tudo começa com uma perseguição insana de carro, que se transforma em uma busca em um prédio residencial, com direito a uma pequena dose de parkour, progredindo para uma luta de facas nas ruas da cidade e culminando em uma nova perseguição de veículos. Essa coletânea de acontecimentos dura aproximadamente 15 minutos. Não se trata de uma única filmagem, mas os cortes são tão precisos que dão uma sensação perfeita de continuidade. Para transmitir a intensidade que almejava alcançar, o diretor Hargrave se prendeu no capô de um carro para fazer boa parte das filmagens que compõem a sequência. O resultado final valeu o risco corrido por Sam Hargrave.


Considerações finais
Resgate é baseado na HQ Ciudad, de autoria de Andre Parks, Joe Russo (roteirista e produtor do longa), Anthony Russo (produtor do filme) e ilustrações de Fernando León González. Depois de trabalhar por anos como dublê, no seu primeiro filme como diretor Sam Hargrave entregou para o público uma obra com uma boa mesclagem entre as cenas de ação e os demais momentos retratados. No fim, temos um filme que se mostra intenso do primeiro ao último minuto.

O ponto mais fraco da película é, sem sombra de dúvidas, a sua narrativa. Algo que também pode levantar debates é o uso excessivo da paleta de cores quentes nos ambientes urbanos de Daca. De resto, mesmo havendo clichês, o filme executa muito bem aquilo que se espera de um bom filme de ação. Embora Chris Hemsworth seja o grande destaque do filme, todo o elenco desempenha interpretações convincentes. O trabalho perfeito de mixagem de som complementa com louvor todo o processo de edição. Amantes do gênero provavelmente gostarão da jornada de Tyler Rake.

Nota
★★★★☆ - 4 - Ótimo


➜ Você pode ver análises de outros filmes clicando aqui.