Atenção! O texto a seguir contém spoilers da segunda temporada de Sons of Anarchy.

Zobelle (Adam Arkin) pode até ter escapado da morte, mas a sua passagem por Charming deixou um rastro enorme de tragédias, inclusive para ele próprio. Estava na cara que Gemma (Katey Sagal) estava só aguardando uma boa oportunidade para se vingar daquilo que fizeram com ela. Embora tenha conseguido alcançar o seu objetivo, sem querer Gemma se envolveu em uma emboscada mal sucedida de Stahl (Ally Walker). Como a agente da ATF não é nem um pouco boba, ela tentou incriminar Gemma após o fracasso da sua operação. Escutando no rádio da polícia que o seu filho havia sido morto pela esposa de Clay (Ron Perlman), Cameron (Jamie McShane), o irlandês com quem o clube negociava as armas, mata um dos membros de SAMCRO e sequestra Abel, o filho de Jax (Charlie Hunnam), para se vingar de Gemma.

Desolado com o desaparecimento do filho e temendo que algo de ruim também acontecesse com Tara (Maggie Siff), Jax começa a tentar se afastar da médica para protegê-la. Nesse processo, ele se torna um completo babaca e realiza ações controversas. E não é só com Tara que Jax manda mal, no decorrer da temporada o vice-presidente de SAMCRO adota um comportamento estranho em alguns momentos importantes, fazendo escolhas questionáveis para alguém que teve uma importância muito grande nos dois anos anteriores. Estaria o sequestro de Abel mexendo tanto assim com o seu psicológico ou estamos conhecendo uma outra face de Jax? Somente o tempo é quem responderá esta indagação.

Enquanto o clube estava reunido para um velório, contando inclusive com a presença de representantes de outras filiais, alguém em uma van passa na rua disparando tiros, deixando várias pessoas feridas e provocando algumas mortes. Visando impedir a continuidade do atentado, o policial Hale (Taylor Sheridan) tenta atingir o motorista do veículo, mas é ele quem acaba falecendo. Por sorte, um dos envolvidos cai da van, é capturado e terá que dar explicações sobre o ocorrido. Esse violento evento faz com que a opinião pública sobre SAMCRO caia completamente, criando uma situação sem precedentes. Mais adiante, é revelado que o ataque foi planejado pelos Calaveras, um clube de origem latina que está prestes a firmar uma parceria com os Mayans. Acho que deu para perceber que mais uma vez temos uma história complexa envolvendo os clubes de motos. 

Foragida da polícia, Gemma estava se escondendo no quarto de um hotel, sendo vigiada por Tig (Kim Coates) e outros aliados. Depois de tentar fugir mais de uma vez, Tig concorda em tirar Gemma do local e os dois fazem uma viagem até a casa de Nate (Hal Holbrook), o pai da matriarca de SAMCRO. Mesmo apresentando problemas de perda de memória, Nate consegue se lembrar de Gemma, apesar de ter passado anos sem ver a filha. Quem recebe os dois é a cuidadora de Nate, Amelia (Monique Gabriela Curnen). No local, alguns eventos inusitados acontecem e Tara acaba precisando ir até lá para prestar auxílio médico (contra a vontade de Jax). A conclusão do arco envolvendo Nate e sua filha acontece no quarto episódio e é bastante comovente.

Enquanto SAMCRO acreditava que Cameron estava fugindo com Abel pelo norte, indo em direção ao Canadá, o irlandês já estava em Belfast. Uma informação sobre o real paradeiro do bebê chega justamente para Gemma, que não fazia a mínima ideia do que havia acontecido com o seu neto. Assim que recebeu a ligação no seu celular, ela teve uma arritmia cardíaca e precisou ser internada, virando um alvo fácil para a polícia. Jimmy (Titus Welliver), que sabia onde Abel estava, ao invés de ajudar cria obstáculos para tentar manter uma boa relação entre o IRA e SAMCRO. Se Jax ficasse sabendo que seu filho estava na Irlanda, a relação entre os dois lados seria completamente prejudicada. Agora que possuem uma informação concreta sobre Abel, SAMCRO precisa encontrar uma forma de viajar até a Irlanda para resgatar a criança. Esse vai ser só o primeiro passo de uma série de problemas que o clube enfrentará no país europeu.

Rebaixada na ATF, Stahl quer recuperar o seu prestígio dentro da instituição em que trabalha. Aproveitando de toda essa situação, Jax começa a negociar secretamente um acordo com a agente federal, de forma a inocentar sua mãe e garantir uma situação mais favorável para SAMCRO no tribunal. Em troca, ele entregaria Jimmy e passaria informações sobre o IRA para a  ATF. Se o acordo fosse inteiramente cumprido, isso certamente seria a salvação para a carreira de Stahl e também traria benefícios para o motoclube. Acontece que nada é tão simples como parece e muitos imprevistos surgirão ao longo da trama.


Considerações finais
Depois da empolgante segunda temporada, Sons of Anarchy prova mais uma vez o quanto a sua história é bem construída. O desfecho retratado no episódio final foi uma jogada de mestre: as coisas estavam caminhando para um lado e, de repente, uma reviravolta nos pega de surpresa, provocando ótimos desdobramentos nos instantes finais. Eu realmente não estava esperando que algo do tipo aconteceria. Apesar do excelente desfecho, a trama envolvendo Abel se estende mais do que o necessário e marca presença em praticamente todos os episódios da temporada. Quem diria que um bebê daria tanto trabalho...

O terceiro ano aprofunda as relações de Clay e seu grupo com outros clubes, em especial com os Mayans. Também conhecemos uma nova divisão do Sons of Anarchy, que atua em Belfast, momento em que a série aproveita para revelar mais detalhes sobre a história do pai de Jax, John Teller. No momento em que o país europeu passa a concentrar a maior parte das cenas, a música de abertura sofre uma leve modificação, o que não deixa de ser algo legal. Eu particularmente gosto muito quando os pequenos detalhes possuem significados atrelados ao enredo. Notamos também que alguns personagens apresentam novos estilos de comportamento, como é o caso de Jax, já mencionado anteriormente, e da chefe de Tara - nem parece que ela e a médica tiveram algum tipo de desentendimento no passado. Por fim, não posso deixar de destacar a participação especial do escritor Stephen King, que interpreta um limpador bastante peculiar.

Nota
★★★★☆ - 4 - Ótimo