Um projeto da Microsoft apresentado na feira de tecnologia Consumer Electronic Show (CES) 2013 quer que os games jogados no videogame Xbox 360 "saiam" da tela e se expandam para a sala de estar ou quarto do jogador. Segundo a empresa, o dispositivo não usa TVs 3D ou óculos especiais.

Chamado de Ilumiroom, o protótipo usa o sensor Kinect - que capta o movimento dos jogadores e leva para dentro do game, dispensando o joystick - e um projetor que são conectados no videogame. Esta combinação que faz os tiros dos inimigos, luzes e explosões irem em direção ao jogador e se espalharem. Em jogos no espaço, as estrelas se espalham pelo quarto.

Já em jogos de tiro em primeira pessoa, em que o gamer observa a ação do ponto de vista do personagem, a tecnologia expande o ambiente do jogo para as paredes da casa.

De acordo com o vídeo publicado pela Microsoft (clique aqui para assistir), a tecnologia escaneia o cômodo da casa, identificando o local dos objetos e compensando sua posição para apresentar uma imagem com mais qualidade. Desse modo, vasos, plantas, prateleiras ou mesas não irão atrapalhar na sensação de imersão que o projeto propõe. E, segundo o vídeo, estes mesmos objetos que estão na sala após escaneados podem ganhar alguns efeitos como riscos, dando a sensação de que foram desenhados, e "vibrar" quando há uma explosão no game, por exemplo.


A descrição do Ilumiroom pela Microsoft diz que o dispositivo "foi desenvolvido para aumentar a imersão dos games unindo o mundo virtual com o real ao se projetar imagens. Tudo o que aparece no vídeo [divulgado] acontece em tempo real. Não foram usados efeitos especiais."

 A Microsoft não disse quando essa tecnologia será lançada e nem em quais condições ela deve ser usada (em um quarto escuro, por exemplo, ou se ela funcionará com a luz do dia entrando pela sala do usuário). Entretanto, documentos da empresa que vazaram na internet em 2012 e que apontam informações sobre o videogame sucessor do Xbox 360 citam uma tecnologia similar, que expandiria a ação dos jogos para fora da TV. Óculos de realidade aumentada também estariam nos planos da companhia.


Créditos