A Academia Brasileira de Cinema anunciou hoje (27) que o filme A Vida Invisível, dirigido por Karim Aïnouz, será o representante brasileiro no Oscar 2020. O longa competiu com outros 11 filmes brasileiros, dentre eles Bacurau, Sócrates e A Última Abolição.

Assim, A Vida Invisível se torna pré-candidato na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira. A última vez que o Brasil conseguiu uma indicação nesta categoria foi em 1999, com Central do Brasil, de Walter Salles. Naquele mesmo ano, a atriz Fernanda Montenegro, que participou do longa, foi indicada ao prêmio de melhor atriz.

A Vida Invisível é baseado no livro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha. Ambientado na década de 1950, no Rio de Janeiro, o filme e acompanha a vida de Euridice e Guida, duas irmãs inseparáveis. Eurídice é uma jovem talentosa, mas bastante introvertida. Guida é sua irmã mais velha, e o oposto de seu temperamento em relação ao convívio social. Ambas vivem em um rígido regime patriarcal, o que faz com que trilhem caminhos distintos: Guida decide fugir de casa com o namorado, enquanto Eurídice se esforça para se tornar uma musicista, ao mesmo tempo em que precisa lidar com as responsabilidades da vida adulta e um casamento sem amor. Separadas, elas tomarão controle de seu destino ao mesmo tempo que nunca abrem mão da esperança de serem reunidas.

Assista ao trailer do filme:


Fernanda Montenegro e Carol Duarte dividem o papel de Eurídice, enquanto Julia Stockler interpreta Guida. Também fazem parte do elenco Gregorio Duvivier, Bárbara Santos e Flavia Gusmão. O filme estreia nos cinemas brasileiros no dia 31 de outubro.

O anúncio dos filmes estrangeiros finalistas ao Oscar será  feito no dia 13 de janeiro de 2020. A cerimônia do Oscar está prevista para acontecer no dia 9 de fevereiro de 2020.

Disputa acirrada com Bacurau
A reunião para escolher o representante brasileiro no Oscar 2020 demorou quase duas horas. "Não foi consenso, mas todos gostamos do filme", declarou Anna Muylaert, presidente da comissão especial da Academia Brasileira de Cinema. Segundo ela, o placar foi de 5 para A vida invisível contra 4 para Bacurau.

"Tomamos a decisão pensando nas chances do filme na campanha americana. É um dos maiores diretores do cinema brasileiro e tem influência no cinema americano, tem a Fernanda Montenegro, que já concorreu ao Oscar, e é um belíssimo filme.", completou Anna Muylaert,