Michaela (Aja Naomi King), Asher (Matt McGorry), Laurel (Karla Souza) e Connor (Jack Falahee) iniciam o terceiro ano da faculdade de Direito. Quem também está de volta ao campus da Universidade de Middleton é a professora Analise Keating (Viola Davis), que agora lecionará a matéria de Habilidades Técnicas Avançadas. Como o número de inscritos na matéria é maior do que os vinte e quatro lugares disponíveis, Analise realiza uma seleção para definir quais serão os alunos que farão a sua matéria naquele semestre e consequentemente participarão da sua clínica jurídica.

Dentre os alunos que fizeram inscrição está Gabriel Maddox (Rome Flynn), um misterioso aluno que estava sendo monitorado por Frank (Charlie Weber) no final da primeira temporada: ele é filho que algum personagem central da trama. Apesar de ter dito a Analise que pediu transferência para a Universidade de Middleton apenas por conta dela, Gabriel tem um motivo maior para estar ali. Mesmo sendo um aluno do segundo ano, ele consegue disputar a última vaga da matéria com Asher, e acaba levando a melhor. Para tentar descobrir o que Maddox está tramando, Frank tenta criar amizade com o jovem.

Depois da vitória na Suprema Corte, Analise precisa de dinheiro para levar adiante o caso dos seus clientes da ação coletiva. A advogada recebe várias propostas de emprego, mas uma ação da governadora quase compromete o futuro de sua carreira. Depois de uma pequena reviravolta, Analise consegue um emprego na Caplan & Gold. O escritório cede um espaço para que Analise e seus alunos possam trabalhar nos casos da ação coletiva. Assim como tudo na série, a Caplan & Gold também tem os seus segredos.

No escritório da promotoria, Bonnie (Liza Weil) tenta aproximar-se do promotor Miller (John Hensley) para descobrir o que ele sabe sobre Annalize e seus alunos. Como Miller era próximo de Denver (Benito Martinez), Bonnie tem medo que ele possa ter algum conhecimento sobre o conteúdo dos arquivos que Denver mantinha. Acontece que a proximidade entre os dois acaba tornando-se algo mais sério, ao ponto de eles iniciarem um relacionamento amoroso, ainda que de forma discreta. Quem também passa a trabalhar na promotoria é Asher que, depois de perseguir e tentar impressionar Miller, consegue uma vaga de estágio na promotoria.

Depois da morte de Denver, Nate (Billy Brown) conseguiu tomar posse de documentos importantes do arquivo secreto do promotor. Apesar de dizer que tinha destruído os arquivos, Nate guardou todas as pastas. Ao analisar o arquivo de Bonnie, o ex-policial descobre que o filho dela pode estar vivo, reabrindo uma ferida do passado da personagem, que foi vítima de estupro quando era ainda muito jovem. Nate inicia uma investigação particular e começa a compartilhar com Analise suas descobertas.

Neste quinto ano, os flashforwards retratam acontecimentos ocorridos três meses depois do episódio de início da temporada. Desta vez o trágico evento ocorre durante a festa de casamento de Oliver (Conrad Ricamora) e Connor. As primeiras cenas mostram o sangue da vítima pingando na neve e Bonnie aparecendo logo em seguida. Diferente dos anos anteriores, onde essas cenas costumavam aparecer no começo e enceramento dos episódios, aqui eles normalmente aparecem uma só vez (no início ou no fim), com exceção do episódio de estreia da temporada.


Considerações finais
Esta temporada talvez seja a que possui o maior número de segredos. Além do acontecimento retratado no flashforward, a identidade de Gabriel Maddox e a morte de um outro personagem são responsáveis por criar bons momentos de dúvidas para o telespectador. Mesmo com muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, a narrativa da série consegue lidar bem todos esses eventos. Os arranhões vistos no braço de Laurel, um dos destaques do final da quarta temporada, não tiveram qualquer tipo de desdobramentos neste quinto ano - teria Peter Nowalk, criador da atração, ignorado essa parte da história ou guardado a surpresa para sexta temporada?

Em razão de tudo o que foi mencionado, a quinta temporada de How to Get Away with Murder acaba sendo mais dinâmica e intensa. Mesmo utilizando uma fórmula que ficou desgastada, a série consegue mais uma vez entregar boas reviravoltas. O final abre um gancho direto para a sexta temporada, que marcará o fim de toda essa bola de neve que teve início com a morte de Sam Keating (Tom Verica). A atuação do elenco mais uma vez é muito boa, com destaque para Viola Davis (que recebeu pela segunda vez indicação ao Emmy por seu papel como Analise) e Liza Weil.

Nota
★★★★☆ - 4


Veja mais sobre How to Get Away with Murder:
└ Análise da série How to Get Away with Murder (1ª temporada)
└ Análise da série How to Get Away with Murder (2ª temporada)
└ Análise da série How to Get Away with Murder (3ª temporada)
└ Análise da série How to Get Away with Murder (4ª temporada)