Atenção! O texto a seguir contém spoilers das nove temporadas de Suits. Leia por sua conta e risco!

Suits estreou na USA Network em 2011. Depois de nove temporadas, o drama jurídico criado por Aaron Korsh chegou ao fim em 2019. Ao longo de todos esses anos, os personagens da atração foram submetidos aos mais diversos tipos de situações, fazendo com que o escritório passasse por várias mudanças, incluisive no seu nome.

Hoje, vamos recapitular as histórias por trás das nomenclaturas da firma de advocacia durante todo o período de exibição da série. Confira todos os detalhes abaixo:

Gordon Schmidt Van Dyke
A origem do escritório é desconhecida, mas sabemos que o Gordon Schmidt Van Dyke chegou ao fim em 2003. Charles Van Dyke (Jamey Sheridan) acreditava que Jessica Pearson (Gina Torres) estava expressando sua gratidão quando lhe entregou um cartão com a seguinte frase: "Para o homem que me contratou, por tudo o que você fez.". Entretanto, mal sabia ele que aquelas palavras tinham outro significado. Três dias depois, Jessica e Daniel Hardman (David Costabile), já sócios seniores do escritório, convocaram seus outros colegas parceiros para uma votação e expulsaram os três sócios nominais da firma. Apesar disso, os sócios ainda mantiveram seus dividendos e certos direitos em troca da venda de suas partes no escritório.

Conforme podemos ver no décimo quinto episódio da terceira temporada, Van Dyke mentiu para Jessica quando lhe fez uma oferta de emprego. Assim que Jesseica o confrontou, perguntando se a proposta tinha alguma relação com sua raça ou gênero, ele jurou que não. Acontece que Hardman havia mostrado a Jessica uma lista em que o nome dela aparecia com um asterisco do lado, indicando que contratá-la daria uma vantagem à empresa - não porque ela tinha estudado em Harvard e era a segunda melhor aluna de sua classe, mas sim para aumentar a diversidade na firma.

Anos depois, ao se deparar novamente com Van Dyke, Jessica revelou que ficou enojada ao ver o asterisco ao lado de seu nome. A partir daquele momento, ela tinha entendido como sempre seria vista por Van Dyke. Jessica ainda afirmou que o cartão era um agradecimento: se ela não tivesse se sentido mal, talvez não teria trabalhado com tanto afinco para chegar onde estava naquele momento.

Pearson Hardman
Esse era o nome do escritório no início da série. Depois que Jessica e Daniel deram um golpe e expulsaram os antigos sócios da firma, o escritório foi renomeado para Pearson Hardman e Daniel assumiu o cargo de sócio-gerente.

Quando Jessica descobriu que alguém estava roubando a empresa, ela pediu a Harvey Specter (Gabriel Macht), que na época era apenas mais um advogado ambicioso, que investigasse o caso. Em um primeiro momento, Harvey encontrou evidências de que Louis Litt (Rick Hoffman) era o ladrão, mas ele estava errado! Junto com Louis, ele descobriu que Daniel estava desviando dinheiro do escritório e de seus clientes.

No momento em que Jessica confrontou Daniel, ele explicou que precisava do dinheiro porque sua esposa, Alicia, tinha câncer. Mas Harvey sabia de toda a verdade: Daniel estava tendo um caso com uma associada, Monica Eton (Gina Holden), e o dinheiro desviado estava sendo repassado para ela. Com isso, em 2007, Jessica obrigou Hardman a renunciar e a nomeá-la como seu sucessor, sob a ameaça de expor o seu caso.

Cinco anos depois, em 2012, quando Alicia morreu, Hardman voltou ao escritório. Ele fez um controle preventivo de danos e confessou aos parceiros que roubou dinheiro de clientes e que poderia ter sido condenado por fraude. Afirmando ter mudado, Daniel agiu às escuras para conseguir novamente o comando do escritório. Em uma votação para decidir quem seria o novo sócio-gerente, Daniel acabou derrotando Jessica, mas suas jogadas sujas logo vieram à tona. Harvey descobriu que Hardman criou um memorando no caso da Coastal Motors e o enviou ao advogado rival, Travis Tanner (Eric Close), para gerar um ataque à firma. Como processar a própria empresa por meios fraudulentos era uma das causas de demissão, os sócios seniores acabaram expulsando Daniel do escritório.

Acontece que Daniel não deixou sua antiga firma em paz. Utilizando o caso de discriminação de gênero da Folsom Foods, Daniel ajudou Robert Zane (Wendell Pierce), seu inimigo de longa data, a levar Jessica ao limite. A Rand, Kaldor & Zane consegui desmembrar a ação coletiva em 45 novos processos. Ciente que Jessica não possuía os recursos financeiros necessários para lidar com esse grande número de novos casos, Hardman queria levar a Pearson Hardman à falência. Daniel também entrou com um processo contra o escritório pela demissão de Monica, alegando que também se tratava de um caso de discriminação de gênero.

Pearson
Depois das ofensivas de Daniel, Jessica retirou o nome de seu antigo sócio da parede e a firma passou a se chamar Pearson. A situação financeira continuou ruim e Jessica precisou escolher onde gastar seu orçamento. Com um Hardman na ofensiva do outro lado, era preciso procurar alternativas para vencer o caso. Este foi o menor nome que o escritório teve em toda a sua história.

Pearson Darby
O dinheiro leva as pessoas a fazerem muitas coisas. Para impedir que Hardman acabasse com o escritório, Jessica fez um acordo com Edward Darby (Conleth Hill), um advogado de Londres, para fundir a Pearson com a Darby International. Darby tinha o dinheiro necessário e suas próprias razões para querer pegar Hardman. Antes mesmo de selarem a fusão, Darby enviou sua funcionária Dana "Scottie" Scott (Abigail Spencer) para ajudar Harvey nos 45 casos contra Hardman. Vale lembrar que Scottie e Harvey tiveram um relacionamento no passado.

Com o acordo para fusão, Jessica teve que mostrar os livros da empresa para Darby e acabou expondo o desvio de dinheiro feito por Hardman. Darby agora tinha liberdade para compartilhar essas informações com o CEO da Folsom Foods, Harley Folsom (Jonathan Whittaker), sem quebrar o acordo de confidencialidade feito por Daniel e Jessica. O plano de Hardman foi por água abaixo e assim nasceu a Pearson Darby. Edward Darby assumiu 51% do controle da nova empresa e se tornou o sócio-gerente. Em um gesto simbólico, ele deixou o nome de Jessica ser o primeiro na parede.

Pearson Darby Specter
Harvey sempre foi contra a fusão e tentou fazer várias coisas para impedir que ela acontecesse. Com o negócio concretizado, ele chegou até mesmo a se virar contra Jessica e realizou um acordo com Edward Darby: se ele conseguisse tirar as acusações de suborno e assassinato contra Ava Hessington (Michelle Fairley), CEO Hessington Oil, Darby o apoiaria como sócio-gerente.

Acontece que Jessica também não estava muito feliz com a fusão. Desejando que ela e Harvey estivessem do mesmo lado, Jessica decidiu tornar Harvey sócio sênior, renomeando a empresa para Pearson Darby Specter, o que levou Harvey a desfazer seu acordo com Darby. Quando Louis viu o novo nome do escritório, sua ótima manhã foi completamente arruinada.

Pearson Specter
A Pearson Darby Specter teve vida curta porque Jessica nunca quis que o acordo com Darby durasse. As complicações em torno do caso da Hessington Oil acabaram sendo a oportunidade perfeita para que Jessica e Harvey executassem um plano para afastar Edward Darby do escritório.

Para fechar um acordo com o promotor Cameron Dennis (Gary Cole), que impedia que Ava Hessington fosse processada, Darby teve que abrir mão de sua licença para exercer a advocacia nos Estados Unidos. Com isso, a fusão com a Darby International foi desfeita e o escritório de Nova York foi renomeado para Pearson Specter.

A Pearson Specter ainda passou por uma reestruturação quando Charles Van Dyke reapareceu querendo um aumento dos seus dividendos. Com a recusa de Jessica, Van Dyke entrou com uma ação para realizar uma auditoria nos livros da empresa. Jessica então recrutou Louis para que ele dissolvesse e reestruturasse o escritório, que deixou de ser uma parceria de responsabilidade limitada (LLP) e se tornou uma empresa de responsabilidade limitada (LLC), o que impediu Van Dyke de ter qualquer sucesso.

Pearson Specter Litt
Louis suspeitou diversas vezes que Mike Ross (Patrick J. Adams) nunca tinha frequentado a Faculdade de Direito de Harvard, mas sempre surgiam pistas de sua formação, fazendo com que Louis desacreditasse na sua teoria. A brincadeira acabou quando Mike, o homem com a memória que nunca falhava, não reconheceu a maior honraria da Academia de Harvard.

Louis formou "summa cum laude" e passou a fazer parte da Ordem da Coifa. Já Mike graduou "magna cum laude", o que teoricamente também o tornaria um membro da Ordem da Coifa. Acontece que Mike não reconheceu a chave de Louis que simbolizava essa honraria. Desta forma, Louis concluiu que Mike não identificou a chave porque ele nunca recebeu uma, ou seja, ele não havia estudado em Harvard.

Donna (Sarah Rafferty) até tentou convencer Louis, dizendo que Mike estava na base de dados de Harvard, mas o advogado já tinha juntado provas que indicavam que Mike era uma fraude. O nome de Mike não constava no anuário (livro de formatura) e, de acordo com o relatório de crédito, o endereço dele durante a faculdade era em Nova York.

Depois de sua conversa com Donna, Louis foi confrontar Jessica. Jessica percebeu que Louis estava tentando aproveitar do segredo de Mike para ganhar algo em troca e perguntou o que ele queria. Louis respondeu que queria a mesma coisa que tinha pedido antes: se tornar um sócio nominal e que o escritório fosse renomeado para Pearson Spectre Litt. Jessica disse a Louis que ele usou uma vantagem para obrigá-la a concretizar algo que ela jamais teria feito. Ela ainda completou afirmando que foi um movimento frio e calculista, e que Harvey teria feito o mesmo. Em outras palavras, ela sabia que Louis merecia aquilo.

Louis ainda exigiu algo sem precedentes: uma cerimônia oficial para revelar a nova placa de identificação do escritório. Jessica aproveitou a ocasião não só para lisonjear Louis pela ideia "brilhante" da cerimônia, mas também por ter dado a todos a chance de reavaliar onde eles estavam e para onde iriam. Mesmo depois de toda a formalidade, muitos dos funcionários ainda se referiam ao escritório apenas como Pearson Specter, o que deixava Louis irritado, mas logo as coisas se ajeitaram.

Specter Litt
A contratação de Mike por Harvey na primeira temporada acabou causando mais uma alteração no nome do escritório, bem como comprometeu a carreira de Jessica no Estado de Nova York. Depois que Harvey venceu o promotor Andrew Malik (Usman Ally) em um caso, Malik decidiu ir atrás da mentora de Harvey. Malik lembrou a Harvey que Jessica confessou saber que Mike era uma fraude na frente da Ordem dos Advogados de Nova York, o que seria motivo para que ela perdesse sua licença. Malik então fez uma moção para o Comitê de Ética da Ordem dos Advogados. Vale lembrar que nesse momento, Jessica já havia deixado a Pearson Specter Litt e tinha se mudado, junto com Jeff Malone (D.B. Woodside), para Chicago.

Muito embora Harvey quisesse lutar para impedir que a licença de Jessica fosse caçada em Nova York, ela disse que não se importava, já que isso não a impediria de advogar em Chicago. Quando Harvey mencionou que eles não podiam ter na parede o nome de uma sócia que perdeu a licença, Jessica revelou que havia voltado a Nova York para dizer que aquele era o momento de retirar o seu nome do escritório. Mesmo manifestando contrariedade, em razão de todos os momentos em que eles passaram juntos, Harvey decidiu aceitar o pedido de Jessica.

Jessica então informou a Harvey que eles agora precisavam resolver duas coisas: quanto de dinheiro a firma teria que lhe pagar em razão de sua saída e como eles iriam administrar o escritório dali em diante. Como a empresa não havia feito pagamento a nenhum dos outros sócios quando eles deixaram a firma, Harvey e Louis só tinham uma forma para entregar o dinheiro a Jessica e manter controle total sobre o escritório: promover uma nova dissolução e reestruturação. Como esse processo já havia sido feito anteriormente, na época da Pearson Specter, o estatuto original estabelecia que para uma nova reestruturação era necessário a aprovação de Gordon, Schmidt ou Van Dyke. Como o Van Dyke os odiava e Schmidt tinha desaparecido em 2012, a única opção era ir atrás de Stanley Gordon (Bruce McGill).

Gordon disse a Harvey que só autorizaria a reestruturação se ele voltasse a ser um sócio nominal na firma. Louis, no entanto, percebeu que Gordon não queria de fato voltar para o escritório, mas sim se vingar da mulher que tinha tirado isso dele; Gordon não queria dinheiro nem poder, mas sim dizer ao mundo que o nome de Jessica não valia nada. Louis então convenceu Harvey a divulgar um comunicado em nome do escritório denegrindo a imagem de Jessica e colocando nela toda a culpa pela contratação de Mike. Com isso, Gordon aceitou colaborar e assim nasceu a Specter Litt.

Zane Specter Litt
Nunca confie muito em seus antigos inimigos. Stanley Gordon colaborou com Harvey e Louis para reestruturar a empresa e pagar Jessica, mas pouco depois ele apareceu totalmente armado contra eles. Gordon retornou ao ramo da advocacia apenas para processar o escritório. Ele moveu uma ação contra a empresa, em nome dos ex-sócios, pelos danos causados pelas ações criminosas praticadas na firma. Ele alegou que os sócios que deixaram o escritório depois da prisão de Mike foram prejudicados. O comunicado emitido contra Jessica era sua principal prova para o caso.

Harvey então procurou Robert Zane para pedir que ele lhe fornecesse as avaliações de seus ex-sócios que agora trabalhavam na Rand, Kaldor & Zane. Em um primeiro momento Robert negou ajuda, afirmando que sua reputação estava manchada em sua firma por ele ter ajudado o escritório de Harvey nos casos da prisão e da Bratton Gould, mas quando Harvey disse que o processo poderia acabar de vez com o escritório, Robert decidiu ajudá-lo.

Ao ver que Harvey estava começando a ganhar vantagem no jogo, Gordon informou a ele e a Louis que se os ex-sócios fossem recontratados pelo escritório, eles estavam dispostos a desistirem do processo. Gordon ainda afirmou que, se eles quisessem, ele colocaria por escrito que se alguém tentasse transformá-lo em sócio o acordo seria anulado.

Tal ação causou muita estranheza em Harvey e Louis. Quando Donna contou para eles que a Rand, Kaldor & Zane tinha alugado três novos andares no prédio de sua sede, o que correspondia ao exato tamanho da Specter Litt, Louis matou a charada: Gordon não estava querendo assumir o controle, mas armava um acordo para que as pessoas que fossem recontratadas votassem a favor de uma fusão com o escritório de Zane, dando fim à firma.

Harvey foi imediatamente atrás de Robert para que ele explicasse o que era tudo aquilo. Naquele momento, Robert percebeu que Eric Kaldor e Ellen Rand, com quem ele trabalhou por vinte e seis anos, estavam dispostos a esfaqueá-lo pelas costas. Para manter a empresa viva, Mike teve uma ideia: tentar convencer Zane a ir para a Specter Litt, mas para isso ele teria de levar consigo vinte pessoas de sua confiança para o escritório. Assim, eles poderiam recontratar os ex-sócios que estavam processando o escritório e não correriam mais o risco de serem atingidos pelo plano traçado por Gordon, Kaldor e Rand.

Depois de refletir a respeito, Robert aceitou a proposta e se tornou o mais novo sócio sênior do escritório, que passou a se chamar Zane Specter Litt.

Zane Specter Litt Wheeler Williams
A chegada de Robert Zane no escritório agitou as coisas. Quando Harvey contou a Alex (Dulé Hill) que Zane era o novo sócio nominal do escritório, Alex ficou chateado, já que Harvey havia lhe prometido que o seu nome era o próximo a ir para a parede. Para tentar amenizar as coisas, Harvey mencionou que sua promessa ainda estava de pé.

O que Harvey não esperava é que Robert tinha feito a mesma promessa para seu braço direito, a advogada Samantha Wheeler (Katherine Heigl). Isso gerou uma disputa interna entre Alex e Samantha. Para tentar solucionar o problema, Harvey sugeriu a Robert que eles deveriam permitir que Samantha e Alex lutassem para ganhar uma promoção. Junto com Louis, Harvey e Robert entregaram um caso que colocava Alex e Samantha em posições contrárias. Aquele que vencesse seria o novo sócio nominal do escritório.

Apesar da vitória de Alex, Robert decidiu promover Samantha, gerando um conflito com Harvey. Percebendo que o escritório estava ficando mais dividido do que nunca, Donna procurou Louis e disse que ele deveria assumir o comando da empresa. Com o voto de Donna e o seu próprio, Louis se autoproclamou o novo sócio-gerente da firma e seu primeiro ato oficial foi promover, ao mesmo tempo, Alex e Samantha como sócios nominais, dando origem à Zane Specter Litt Wheeler Williams. Este foi o maior nome que a firma de advocacia teve em toda a sua história.

Specter Litt Wheeler Williams
O incansável Daniel Hardman não desistiu de se vingar da firma. Quando descobriu que Harvey havia quebrado o privilégio advogado-cliente, Daniel iniciou um processo contra a Zane Specter Litt Wheeler Williams. Detalhe: ele ofereceu seus serviços de forma gratuita para um antigo cliente de Harvey. O objetivo de Hardman era fazer com que Harvey perdesse sua licença para advogar, o que desencadearia a retirada de seu nome do escritório. Daniel propôs um acordo: se fosse recontratado como sócio nominal da firma e Harvey se demitisse, ele desistiria do processo.

Para tentar solucionar esse problema, Robert procurou Daniel e sugeriu que ele se tornasse sócio nominal no seu antigo escritório, agora chamado de Rand Kaldor. Daniel aceitou a oferta de Zane, mas Eric Kaldor e Ellen Rand se recusaram a receber Daniel. A situação mudou de rumo quando Robert, no dia da audiência no Conselho de Ética da Ordem dos Advogados, resolveu assumir a culpa pela quebra do privilégio, inocentando Harvey. Em decorrência disso, Robert perdeu a licença para exercer a função de advogado.

Em uma conversa com Samantha, Robert explicou que sua decisão tinha a ver com o homem que a assaltou no passado. Robert disse que o assaltante tinha sido assassinado em sua própria cela, e ele sentia culpa por aquilo, já que o criminoso só estava naquele local por sua conta. Robert vinha carregando esse peso em suas costas por anos e, naquele momento, a perda de sua licença era uma espécie de redenção.

Mesmo fora do jogo, o nome de Robert foi mantido no escritório, o que não repercutiu bem no meio jurídico. Então, a Ordem dos Advogados do Estado de Nova York enviou Faye Richardson (Denise Crosby) para ajeitar as coisas e recuperar a credibilidade da firma. Faye assumiu o controle total do escritório e seu primeiro ato foi retirar o nome de Robert Zane da empresa, renomeando-a para Specter Litt Wheeler Williams.

Specter Litt Williams
Faye não estava para brincadeiras: depois de ter flagrado Louis tentando demitir Benjamin (David Reale) por um motivo totalmente injusto, ela retirou dele o título de sócio-gerente, junto com todas as suas atribuições. Faye agora tinha o controle total do escritório.

Mesmo afirmando que haveria consequências para aqueles que passassem dos limites, os membros da Specter Litt Wheeler Williams não apresentaram grandes mudanças de comportamento. Eles estavam mais preocupados em encontrar algo contra Faye para retirá-la do escritório do que propriamente cumprir suas determinações.

Mike Ross retornou à nova York para ter um embate com Harvey Specter. Mike representava o jogador de basquete Jeremy Wall, que queria romper seu contrato com a Brick Street (cliente de Harvey) por violações no contrato de trabalho. O que Mike não esperava era que Harvey havia entregado a Brick Street para Samantha. Apesar disso, Harvey e Mike combinaram que teriam uma luta justa no caso. Quando Mike venceu, Samantha não aceitou a situação, desobedeceu às ordens de Harvey e fabricou provas para derrotar Mike.

Quando descobriu o que Samantha havia feito para vencer o caso, Faye tomou uma atitude drástica: afirmando que não toleraria mais comportamentos antiéticos na firma, a representante da Ordem demitiu Samantha. Assim, o escritório passou a se chamar Specter Litt Williams.

Litt Wheeler Williams Bennett
É verdade que os primeiros contatos entre Mike e Samantha não foram nada amistosos. Depois que Samantha perdeu o emprego, Mike resolveu se juntar a ela para que eles bolassem um plano para retirar Faye do escritório. O fruto dessa união foi um processo contra Faye, por demissão sem justa causa.

Entretanto, a representante da Ordem dos Advogados foi esperta e acabou fazendo um acordo em que Harvey e Louis seriam seus advogados. Se eles vencessem o caso, ela iria embora, desde que tudo fosse feito sem nenhum tipo de conspiração com o lado adversário. Se houvesse trapaça, Faye iria até a Ordem dizer que a firma deveria ser desfeita permanentemente. Além disso, o acordo firmado por eles não deveria chegar ao conhecimento de Mike e Samantha.

Visando preparar Faye para o julgamento no tribunal, Harvey decidiu fazer um julgamento simulado no escritório, onde ele e Louis expuseram os abusos cometidos por ela no passado. Para completar, Harvey humilhou Faye na frente de toda a empresa. As ações cometidas por ela há oito anos chegaram ao conhecimento do lado adversário e foram usadas por Mike e Samantha no tribunal. Katrina Bennett (Amanda Schull) procurou Faye para lhe dizer que não sabia de seu acordo com Harvey e Louis, e revelou ter sido ela quem cometeu o erro de repassar para Mike os dados do julgamento simulado. Embora tenha admitido respeitar Katrina por ela ter reconhecido seu erro, Faye a demitiu do escritório.

Mesmo tendo uma vantagem no caso, Faye informou a Harvey que o colocaria para depor contra Samantha no tribunal. Estando em uma situação complicada, Harvey contou para Mike sobre o acordo. Mike disse a Harvey que eles trapacearam por anos e que aquele era o momento para um último golpe (no caso, enganar Faye). Katrina era peça central do plano: ela procurou Faye e disse que se Harvey fosse depor, ela também iria e sustentaria a tese de que Faye também a demitiu sem justa causa. Furiosa com uma possível reviravolta, Faye ordenou que Harvey anulasse o testemunho de Katrina, mas ele somente "concordaria" se ela colocasse por escrito o acordo que eles tinham feito, o que a impediria de permanecer mais tempo na firma.

No dia seguinte, quando Faye ia assinar o acordo, Mike entrou na sala com Samantha e simulou uma discussão com Harvey. No meio da confusão, Gretchen (Aloma Wright) trocou o acordo por outro documento. Assim que Faye entregou o papel, Alex revelou que o que ela havia acabado de assinar era na verdade uma ordem para que Harvey manipulasse uma testemunha. Esse foi o fim do jogo para a representante da Ordem.

Depois de finalmente terem conseguido retirar Faye do escritório, Samantha e Katrina foram readmitidas. Harvey e Donna comunicaram a Louis que eles estavam deixando a empresa e se mudariam para Seattle, onde trabalhariam com Mike e Rachel.

Com a saída de Harvey, Samantha disse a Louis que eles precisavam fazer uma última mudança antes que o novo estatuto do escritório fosse escrito: tornar Katrina a mais nova sócia nominal da firma; isso foi uma forma de agradecê-la por ter ajudado a salvar a empresa. No novo estatuto, ficou estabelecido que o escritório, agora chamado de Litt Wheeler Williams Bennett, não poderia ter o seu nome alterado pelos próximos cinco anos.

Veja mais sobre Suits: