Nesta semana, a distribuidora Downtown Filmes informou por meio de suas redes sociais que Minha Mãe É uma Peça 3  bateu o recorde de maior arrecadação de bilheteria da história do cinema brasileiro. A comédia estrelada por Paulo Gustavo arrecadou R$ 143,8 milhões desde a sua estreia, no final do ano passado, até a última quarta-feira (22), segundo informações do site especializado Filme B.

Com isso, com quatro semanas, o filme bateu o recorde que já era da franquia: lançado em dezembro de 2016, Minha Mãe é uma Peça 2 teve uma receita de R$ 124,6 milhões. O preço maior dos ingressos pode justificar o número alcançado tão rapidamente. Importante salientar que o recorde diz respeito à arrecadação nominal, e não leva em conta a inflação de valores obtidos nas bilheterias por outros grandes sucessos do cinema nacional.

Em número total de espectadores, o filme ainda perde para outros sucessos, como Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976), Tropa de Elite 2 (2010) e Os Dez Mandamentos (2016) que foram vistos por mais de 11 milhões de pessoas, e Nada a Perder (2018) que levou mais de 12 milhões de pessoas ao cinema. Quanto aos dois últimos filmes, é bom lembrarmos a polêmica envolvendo o seu público real: a Igreja Universal do Reino de Deus distribuiu ingressos para seus fiéis, mas muitos não foram ao cinema ver os filmes.

Minha Mãe É uma Peça 3 até agora atraiu 9,1 milhões de espectadores. O número ainda é menor do que o seu antecessor, que levou 9,3 milhões de pessoas aos cinemas, mas certamente será batido nos próximos dias.

No longa, Dona Hermínia (Paulo Gustavo) vê a família indo embora de casa, com sua filha Marcelina (Mariana Xavier) estando grávida e seu filho Juliano (Rodrigo Pandolfo) estando prestes a casar. Ela também precisa encarar a volta do ex-marido, interpretado por Herson Capri. Dirigido por Susana Garcia, Minha Mãe É uma Peça 3 segue em exibição nos cinemas.