Esta segunda-feira (16) começou agitada no mundo dos games com a Microsoft revelando as especificações completas do seu próximo console, o Xbox Series X, que está programado para chegar ao mercado no final de 2020.

A gigante de Redmond já havia revelado antes alguns detalhes sobre o console, mas não havia detalhado suas especificações. Desta vez, a companhia divulgou todos os dados técnicos do aparelho. Entre as principais novidades estão os 16 GB de memória RAM GDDR6 e uma unidade de armazenamento de 1 TB de SSD NVMe.

Confira abaixo as especificações do Xbox Series X:
• CPU: 8 núcleos AMD Zen 2 customizado de 3.8 GHz (3.6 GHz com SMT);
• GPU: 12 TFLOPs, 52 CUs a 1.825 GHz, RDNA 2 customizado;
• Tamanho da matriz: 360.45 mm2;
• Processador: TSMC 7 nm aprimorado;
• Memória: 16 GB GDDR6;
• Largura de banda de memória (Bandwidth): 10 GB a 560 GB/s, e 6GB a 336 GB/s;
• Memória interna: 1 TB NVMe SSD customizado;
• Velocidade da IO: 2.4 GB/s (Raw), 4.8 GB/s (Comprimida);
• Memória expansível: 1 TB;
• Armazenamento externo: USB 3.2 HDD Support;
• Drive óptico: 4K UHD Blu-ray Drive;
• Performance: 4K a 60 quadros por segundo, podendo chegar até a 120 fps.


"O Xbox Series é o maior salto geracional de SOC (System on a Chip) e design API que já fizemos com a Microsoft, e é realmente uma honra para a AMD de ser uma parceira confiável para esta empreitada", disse o executivo Sebastien Nussbaum, da AMD ao Xbox Wire. "O Xbox Series X será um símbolo de liderança e inovação técnica para esta geração de consoles e propagará a inovação em todo o ecossistema DirectX neste e no próximo ano."

Um dos recursos de maior destaque do console é o DirectX Raytracing acelerado por hardware. A tecnologia simula as propriedades da luz e som em tempo real e com alto grau de precisão, permitindo aos desenvolvedores criarem mundos ainda mais impressionantes para seus jogos. Para demonstrar o poder do RayTracing, o  diretor técnico de Minecraft,  Clayton Vaught, realizou uma demonstração técnica mostrando da tecnologia. Confira:



Além do alto desempenho gráfico, outro foco do console é ser uma máquina muito mais rápida do que o seu antecessor, o Xbox One. Para isso, a Microsoft abandonou o HD padrão e vai equipar o novo Xbox com um SSD. Por trás da nova unidade de armazenamento está a arquitetura Xbox Velocity Architecture, que apresenta uma forte integração entre hardware e software e permite aos desenvolvedores melhorem radicalmente o fluxo de ativos e multipliquem efetivamente a memória disponível.

"O processador é o cérebro de nosso novo console e a placa gráfica é o coração, mas a Xbox Velocity Architecture é a alma", explicou Andrew Goosen, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Series X. "A Xbox Velocity Architecture é muito mais do que tempos de loading rápidos. Ela é uma das partes mais inovadores de nosso novo console. É sobre revolucionar como jogos podem criar mundos muito maiores e mais engajantes."

Os benefícios da Xbox Velocity Architecture vão desde a criação de mundos abertos enormes que podem ser carregados significativamente mais rápidos, com mecânicas de viagem rápida e até a redução de latência em partidas oinline.

Para mostrar a velocidade do console, a Microsoft divulgou uma demo técnica comparando a velocidade de carregamento do jogo State of Decay 2 no Xbox One X e no Xbox Series X.


Outro recurso que vem chamando a atenção é o Quick Resume (resumo rápido). No Xbox One, o jogador consegue retomar o último seu último jogo que jogou. Mas como a maioria dos jogadores joga, em média, três a quatro jogos por mês, a equipe por trás do console queria oferecer a opção de alternar entre eles com facilidade e rapidez. Com o Quick Resume, você poderá retomar vários jogos, voltando instantaneamente onde parou. Como os estados do jogo serão armazenados diretamente no SSD do sistema, eles ainda persistirão mesmo após você desligar o console, desconectá-lo completamente ou até fazer uma atualização do sistema. O recurso também foi demonstrado através de um vídeo.


O Xbox Wireless Controller terá uma otimização de latência, oferecendo uma experiência mais precisa e responsiva. O time do Xbox criou a tecnologia Dynamic Latency Input (DLI), que além de ajudar a moldar a especificação HDMI 2.1, também adiciona novos recursos centrados em jogos, como suporte para 120 hz, taxa de atualização variável (VRR) e modo automático de baixa latência (ALLM). A Microsoft vem trabalhando com os principais fabricantes de TV do setor nos últimos dois anos para garantir que o ecossistema de telas esteja pronto para os recursos que serão lançados junto com o Xbox Series X.


A Microsoft ainda revelou que a retrocompatibilidade foi trabalhada pelo time de desenvolvimento do Series X desde o início do projeto. Toda a biblioteca de jogos do Xbox One, incluindo os jogos retrocompatíveis do Xbox 360 e do Xbox clássico, poderão ser jogados no console de nova geração e ainda se beneficiarão com as novas tecnologias empregadas no aparelho, como tempos de inicialização e carregamento mais rápidos, taxas de quadros mais estáveis, resoluções mais altas e qualidade de imagem aprimorada.

A equipe do Xbox está tão comprometida com o conceito de compatibilidade e reprodução entre gerações, que não apenas os jogos mas também os acessórios do Xbox One poderão ser utilizados no novo Xbox. A Microsoft projetou um sistema para permitir o multiplayer entre gerações, além de introduzir novos recursos, como o Smart Delivery, que garante que você só precisa comprar um título uma vez, sabendo que obterá a melhor versão do jogo em qualquer console Xbox que você escolher jogar.