Ontem (26), uma quantidade enorme de conteúdos relacionados a The Last of Us Part II foram vazados na internet. Isso serviu para colocar ainda mais pressão na Naughty Dog, que já teve que adiar o lançamento do título duas vezes. Inicialmente previsto para o dia 21 de fevereiro de 2020, o game acabou tendo a sua data de lançamento alterada para 29 de maio de 2020. Com a pandemia de COVID-19, o jogo foi novamente adiado, ficando dessa vez, sem previsão para chegar ao mercado. Hoje, uma nova data foi anunciada: 19 de junho de 2020.

Depois do ocorrido de ontem, a Sony tinha que dar algum tipo de resposta. Apesar de não ter relacionado a divulgação ilegal dos conteúdos com a nova data de lançamento, fato é que o anúncio foi feito pela companhia japonesa um dia depois do vazamento e acabou afetando outro título exclusivo do PlayStation 4, Ghost of Tsushima. O game de Sucker Punch Productions era originalmente esperado para o dia 26 de junho de 2020, ou seja, apenas uma semana depois da nova data de The Last of Us Part II. Para que um jogo não prejudicasse o outro, Ghost of Tsushima sofreu alteração na sua janela de lançamento e agora chegará ao mercado em 17 de julho de 2020.

Sobre o vazamento, a Naughty Dog fez o seguinte pronunciamento: "Sabemos que os últimos dias foram incrivelmente difíceis para você. Sentimos o mesmo. É decepcionante ver a publicação e compartilhamento de cenas do desenvolvimento pré-lançamento. Faça o melhor que puder para evitar spoilers e pedimos que você não compartilhe spoilers com os outros. The Last of Us Part II estará em suas mãos em breve. Não importa o que você ver ou ouvir, a experiência final vai valer a pena.".

A situação é um pouco preocupante, já que a enorme divulgação que foi feita deve pressionar ainda mais os trabalhadores do estúdio sediado em Santa Mônica, EUA, a concluírem seus trabalhos. Em dezembro do ano passado, relatos de que os funcionários da Naughty Dog estavam sendo submetidos a jornadas de trabalho excessivas, o famoso crunch, foram divulgados por sites como o Kotaku. Inclusive, rumores indicam que o vazamento de ontem poderia ter vindo de um ex-funcionário descontente com as políticas de trabalho na empresa.