Hoje, 9 de agosto de 2020, comemoramos mais um dia dos pais aqui no Brasil. Esta importante data é celebrada desde 1953 em nossa nação e serve como uma homenagem anual a todos os pais. Pensando nisso, nós do Portal E7 decidimos fazer uma postagem colaborativa elencando 10 pais marcantes da cultura pop.

Antes de conferir as escolhas, é preciso lembrar que a figura paterna vai muito além de laços sanguíneos e a nossa listagem é totalmente democrática nesse sentido. Pai é aquele que está presente na vida do filho, passando-lhe ensinamentos e prestando-lhe assistência quando necessário.

Tendo isso em mente, segue abaixo a nossa seleção para comemorar essa data especial:

Homer Simpsons (Os Simpsons)
Homer Simpson não é um exemplo de pessoa e nem de pai, mas é sem dúvida alguma um personagem muito carismático. No ar desde 1989, ao longo de mais de 30 temporadas Homer se mostrou ser um personagem de caráter bastante duvidoso e que não consegue se conectar tanto com seus filhos. Isso, no entanto, não o impediu de fazer sucesso entre o público, tornando-o dos pais mais marcantes da cultura pop.

Seu Madruga (Chaves)
É verdade que Seu Madruga nunca foi muito de gostar de trabalhar; mesmo com todas as limitações, ele presou pela boa educação de sua filha Chiquinha. Por mais que as vezes lhe faltasse coragem para enfrentar algumas situações, o morador da casa 14 sempre tentou defender sua filha das injustiças, ainda que isso significasse levar mais alguns bofetões da Dona Florinda. Sabendo ser rígido nas horas certas, quando era possível ele presenteava a filha com alguns mimos. Não podemos esquecer também a sua importância na vida do órfão Chaves, que muitas vezes via nele a figura paterna.

Kratos (God of War)
Até o terceiro jogo da linha principal da franquia God of War, o protagonista Kratos não era um personagem de muita personalidade e carisma, o que felizmente mudou com a chegada de God of War (2018) ao PlayStation 4. Se antes Kratos era um homem que estava quase todo tempo furioso, agora ele se tornou alguém mais contido, que conseguiu formar uma nova vida e uma família. Sua relação com seu filho, Atreus, inicialmente não é muito boa, mas durante o game os dois vão evoluindo e Kratos se mostra um grande pai.

Alfred Pennyworth (Batman)
Bruce Wayne perdeu seus pais de forma trágica quando era apenas uma criança. Por sorte, ele pôde contar com os cuidados de Alfred, o mordomo da família. Alfred esteve sempre presente na sua infância e adolescência e desempenhou um importante papel na sua formação. Quando Wayne decidiu enfrentar a criminalidade em Gotham City, Alfred agiu quase que como um assistente, cuidando do seu patrão nos momentos necessários, além de ser uma figura em quem o Cavaleiro das Trevas confia inteiramente.

Walter White (Breaking Bad)
Muito embora ele tenha iniciado sua vida no crime pensando no bem estar de seus filhos e esposa, com o tempo Walt foi se distanciando cada vez mais dos seus entes queridos e, aos poucos, foi destruindo sua família. Com Jesse Pinkman, seu principal parceiro de crime, o professor de química muitas vezes também representou uma figura paterna, mas em vários momentos apenas o usou para alcançar seus objetivos. Apesar de tudo, antes de morrer, Walter conseguiu enviar o que sobrou de sua fortuna para seu filhos e também libertou Jesse do "cativeiro".

Mufasa (O Rei Leão)
Mufasa é um típico paizão. Em seu tempo de vida, ele se mostrou muito protetor e bondoso, não só com seu filho Simba, mas com todos de seu reino. Apesar de ter morrido quando Simba era criança, Mufasa deixou lições extremamente valiosas para seu filho. Sua morte elevou ainda mais seu status de pai, já que ele se sacrificou para salvar o pequeno Simba de um gigantesco grupo de hienas que provavelmente o matariam.

Joel (The Last of Us)
The Last of Us certamente é um dos jogos mais influentes da última década. Um dos pontos mais bem trabalhados do jogo é a relação entre Joel e da jovem Ellie. Logo no começo do game, Joel perde sua filha e se torna uma pessoa completamente amargurada. Ao conhecer Ellie, Joel tenta não criar nenhum laço com a jovem e busca apenas cumprir seu trabalho de escolta-la, mas com o tempo, em meio à diversas adversidades, eles criam um forte vínculo afetivo. Joel então retoma seus instintos paternos ao tratar proteger Ellie dos mais diversos tipos de perigo.

Darth Vader (Star Wars)
É indiscutível que a cena em que Darth Vader revela ser pai do jovem Luke Skywalker é uma das mais icônicas de toda a história do cinema. Esse inesperado fato mudou os rumos que Star Wars poderia ter tomado à época. A relação entre pai e filho começou a ser cada vez mais desenvolvida e culminou na redenção do vilão, que matou o Imperador Palpatine para salvar seu filho e posteriormente morrer, não como um vilão, mas sim como um verdadeiro Jedi (mesmo tendo espalhado mal na galáxia e até mesmo arrancado a mão de Luke).

Rick Grimes (The Walking Dead)
Acordando em um quarto de hospital no meio de um apocalipse zumbi, tudo o que Rick queria era encontrar sua mulher e seu filho pequeno. Por ironia do destino, ele acabou assumindo um papel muito maior do que apenas proteger Lori e Carl: Rick passou liderar um grupo de sobrevivente, sendo constantemente obrigado a enfrentar situações delicadíssimas para manter a harmonia entre todos que o cercavam. Se o ex-policial servia de inspiração para seu grupo em razão da enorme responsabilidade com que lidava com cada sobrevivente, a sua relação com o filho Carl era ainda mais intensa: ainda que o instinto protetor existisse, ele tinha que preparar o filho para as ameaças existentes na nova realidade em que eles se encontravam.

Professor Charles Xavier (X-Men)
Leitores de quadrinhos sabem que a linha temporal dos X-Men não é uma das mais fáceis de se acompanhar. Foram muitas sagas e transformações ao longo dos anos, mas nada disso teria acontecido sem a figura de Charles Xavier. Ele fundou um instituto para acolher aqueles que eram diferentes e lá passou a oferecer treinamentos para que eles soubessem lidar com seus poderes. Adotando o lado pacifista no movimento mutante, o Professor X ofereceu o apoio que muitos jovens precisavam para compreender a si mesmo e saber conviver em sociedade.