Um mundo virtual composto por pinguins, cheio de atividades e localidades, onde a base de tudo estava na interação entre as pessoas. Esse era o Club Penguin, um MMO que podia ser jogado diretamente do navegador e era um ponto de encontro de milhares de pessoas todos os dias, sempre vivendo diferentes experiências.

O Club Penguin infelizmente não existe mais, seus servidores foram desligados pela Disney em 2017 e tudo que resta do jogo atualmente são servers paralelos feitos por fãs e, claro, as memórias do que os jogadores faziam por lá. Apesar de ter sido oficialmente descontinuado, Club Penguin foi um jogo que fez história. Hoje você conhecerá um pouco mais sobre o game.

Lançado em 2005, Club Penguin foi crescendo e alcançou a incrível marca de 30 milhões de usuários em 2007. O jogo foi um verdadeiro fenômeno, muito provavelmente pelo fato de não exigir um computador potente, poder ser jogado diretamente no navegador e ser gratuito. Com o passar do tempo, o sucesso aumento e, em 2013, mais de 200 milhões de contas estavam registradas no jogo.

Durante vários anos, Club Penguin recebeu um amplo suporte de atualizações dos seus desenvolvedores, muito graças ao investimento da Disney, que em 2007 se tornou proprietária do game. No jogo, você controlava um Pinguim que tinha a liberdade para explorar a gélida ilha onde você e os outros jogadores do servidor viviam. Lá, haviam vários minigames que podiam ser feitos e que davam ao jogador um pouco de dinheiro como recompensa. Esse dinheiro podia ser gasto nas mais diversas coisas dentro do jogo.

Existiam vários estabelecimentos espalhados pela ilha. Alguns deles eram pontos de venda, onde era possível comprar roupas, animais de estimação ou acessórios para seu pinguim; nos outros locais você encontrava os minigames. Independente de qual estabelecimento você estava, sempre iriam aparecer outros jogadores, e era através deles que o jogo fica realmente divertido. Só de ter alguma outra pessoa fazendo compras ou alguma tarefa no mesmo lugar que você estava, tudo fica mais vivo.

Através do chat do jogo, você podia interagir com um pinguim que estivesse por perto, podia visitar seu iglu, tirar dúvidas, compartilhar suas experiências e começar uma boa amizade - isso tudo dependia você. Em ambientes com vários jogadores, eventualmente algumas brincadeiras começavam. Na pizzaria, era comum que alguns players se organizassem como garçons, atendendo e conversando com todos que chegassem. No fim, nem sequer era possível entregar comida para um jogador, mas essas interações divertiam muito e mantinham a comunidade bastante engajada e unida.

Em algumas datas, aconteciam festas dentro do jogo. Nessas épocas, novos itens chegavam às lojas e o visual de todo cenário mudava bastante. Às vezes, novos minigames também estreavam. Vários desses eventos aconteciam para celebrar alguma data comemorativa ou divulgar alguma nova produção da Disney. Também existiam algumas festas que ocorriam sem nenhum motivo especial, apenas trazendo alguma temática criativa e contando alguma historinha ambientada no universo do jogo.

O grande problema desses eventos era que os novos itens adicionados se tornavam completamente inacessíveis, não por serem muito caros dentro do game, mas pelo fato de exigirem que o jogador fosse assinante para poder obtê-los. Para se tornar um assinante, o jogador deveria pagar uma mensalidade usando dinheiro real. Sem essa assinatura, alguns minigames simplesmente não poderiam ser jogados e poucos itens do jogo poderiam ser adquiridos, algo que tirava bastante a diversão dos que não podiam pagar.

Ainda assim, era possível se divertir jogando Club Penguin. Um não-assinante podia comprar itens para seu iglu, roupas para seu pinguim, animais de estimação, participar da maioria dos minigames e também interagir com outros jogadores. O Dojô, por exemplo, era um estabelecimento onde você, sendo assinante ou não, era livre para frequentar e enfrentar adversários, assim progredindo e alcançando novas faixas ninja, até conseguir o visual completo.

A gama de minigames disponíveis no jogo era vasta: alguns podiam ser jogados com outros players, tendo um foco um pouco mais competitivo, porém a maioria era feito para que os jogadores jogassem individualmente. Joguinhos de fazer pizzas, pescar, surfar e empilhar feijões eram apenas alguns dos vários que existiam dentro do Club Penguin. Alguns não eram lá muito bons para acumular moedas, porém todos funcionavam como um ótimo passa tempo.

No geral, Club Penguin foi um ótimo jogo para as pessoas conversarem e se divertirem. Passar um tempo com seus amigos andando pelo mapa, comprando coisas e fazendo alguns minigames era algo muito divertido, afinal, o jogo estava sempre mudando. Apesar de não ter uma grande trama, várias historinhas iam sendo contadas. Que jogador não se lembra de quando uma misteriosa agência chegou na ilha do jogo? Até hoje, muitos nem sequer fazem ideia de que era possível fazer parte da agência misteriosa, afinal, tudo dependia de sua exploração e curiosidade para descobrir os mistérios.

Com o declínio da popularidade do Club Penguin e o grande desinteresse da Disney em continuar no ramo dos jogos eletrônicos, o jogo acabou tendo seus servidores fechados. Uma nova versão oficial do game até foi lançada, mas ela limitava ainda mais os jogadores que não gastavam dinheiro real com uma assinatura e era drasticamente diferente do jogo original em alguns aspectos, além de inicialmente só ter sido lançada para celulares. No fim, essa versão fracassou e também foi encerrada.

Hoje, só é possível revisitar Club Penguin através de servidores não oficias mantidos por fãs. Alguns até continuam trazendo novos eventos e trabalhando em atualizações, mas é algo que pode acabar sendo retirado do ar pela Disney. Infelizmente o Club Penguin que todos conheciam já não existe mais. As grandes memórias do jogo irão permanecer e os fãs nunca se esquecerão da festa final do jogo, onde os pinguins finalmente puderam virar o iceberg, algo que os jogadores tentavam fazer há anos.