A saga mais problemática de Dragon Ball Z


A saga Majin Boo, a última de Dragon Ball Z, é extremamente querida pelos fãs da franquia, tendo marcado uma geração e apresentado alguns dos personagens mais famosos da série, mas diferente do que muitos se lembram, esse é um dos arcos mais problemáticos de Dragon Ball, principalmente pelo fato de que muitos dos personagens que gostamos vão sendo descartados aos poucos.

O arco inicia com Gohan sendo o protagonista, o que não é necessariamente algo ruim, já que Goku estava morto e havia pedido para não ser ressuscitado. Com isso, passamos a acompanhar o dia a dia do personagem e conhecemos sua namorada, Videl, seu irmão, Goten, e vemos Trunks mais crescido.

Depois de dedicar um tempo retratando o cotidiano de Gohan, a saga realmente começa: Goku obtém o direito de passar um dia na terra, para participar do torneio de artes marciais, e os queridos guerreiros da franquia também se reúnem para a competição. O problema é que no meio do torneio, a ameaça do mago Babidi surge, impedindo a continuidade da disputa e tirando o destaque dos personagens secundários que haviam recentemente reaparecido.

Em decorrência desse evento, a oportunidade de desenvolver o reencontro de Goku com seus amigos foi perdida e a maioria dos guerreiros da Terra saíram do torneio para impedir o renascimento de Majin Boo. Gohan continua como protagonista, mas depois de anos sem treinar, ele está muito fraco, fazendo com que Goku e Vegeta acabem roubando toda a atenção. Enquanto isso, os guerreiros terráqueos, que são bem menos poderosos, são totalmente descartados pelo roteiro. 

É então que nasce um grande problema, com vários personagens queridos ganhando pouquíssimo tempo de tela. Para piorar, bem no início da saga, Vegeta morre, Gohan fica incapacitado e Goku volta para o mundo dos mortos. Com isso, o protagonismo da história passa a ser assumido por Goten e Trunks, duas crianças que, apesar de terem muito potencial, não são experientes e nem habilidosas com artes marciais.


Muitos treinamentos e lutas acontecem, mas nem mesmo Goten e Trunks fundidos conseguem lidar com o nível do já revivido Majin Boo e, em decorrência disso, são absorvidos pelo vilão. Felizmente, Gohan volta ao campo de batalha muito mais forte, mas como ele é extremamente arrogante na luta, também é derrotado por Boo.

Com o universo ficando sem esperanças, um antigo Kaisohin deu sua vida para Goku. Mais uma vez temos uma troca de personagem principal, com Goku voltando a receber os holofotes, o que também não dura muito, já que logo Vegeta também é trazido de volta, assim possibilitando que os dois se fundam. Juntos, Goku e Vegeta alcançam um nível muito maior que o de Boo, todavia eles não o destroem, afinal, antes era necessário retirar de dentro de Majin Boo as pessoas que ele havia absorvido.

Após os heróis fazerem isso, a fusão chega ao fim, o que não é um problema tão grande, tendo em vista que Majin Boo ficou muito mais fraco após perder os poderes daqueles que ele havia absorvido. A grande luta final termina com Goku exterminando o vilão com a ajuda de todos os habitantes do planeta Terra. A conclusão é épica, mas traz Goku novamente como o protagonista, o que o arco inicialmente parecia tentar evitar.

A sensação que a saga Majin Boo passa é que o roteiro foi mudando conforme o feedback do público. Desta forma, todas as inovações trazidas por esse arco ficaram restritas no início e no meio, já que o final foi o básico de Dragon Ball - algo que os fãs gostaram, mas que também deixou um gosto de potencial desperdiçado.

Além de todas as mudanças repentinas, a narrativa é muito esticada: o que narrei aqui é apenas o básico, no meio disso muita coisa acontece. Foram várias batalhas extremamente demoradas, mortes falsas, episódios focados em personagens secundários (que raramente eram os guerreiros que os fãs gostavam) e muitos capítulos de enchimento.

Ainda assim, é impossível negar que a saga Boo carrega vários pontos positivos, como as inúmeras cenas marcantes, os novos personagens interessantes e as várias lutas épicas. As coisas poderiam ser ainda melhores se tivéssemos uma história mais bem planejada e uma estrutura menos bagunçada, porém é fato que a saga foi capaz de trazer uma grande conclusão para Dragon Ball Z.


João Pedro Viana

um cara que adora jogar uns joguinhos e assistir umas coisas bem aleatórias.

O que achou desta postagem? Encontrou algum erro? Compartilhe sua opinião!

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade