A história de Corra! (Get Out, no original) inicia-se com um prólogo, onde vemos um homem negro perdido em um bairro de classe média durante à noite. Quando olhava a localização em seu celular, um Porsche 944 branco se aproxima dele. Percebendo que poderia se tratar de uma emboscada, o personagem dá meia-volta, mas acaba sendo surpreendido e capturado por um misterioso homem mascarado, que o coloca no porta-malas do carro.

Na cena seguinte, conhecemos o casal Chris (Daniel Kaluuya) e Rose (Allison Williams). Os dois conversam sobre Chris ir conhecer a família da namorada. No diálogo, o protagonista teme não ser bem aceito pelos pais de Rose, já que ela vem de uma família formada apenas por pessoas brancas. Rose tenta convencê-lo de que não haverá nenhum problema, argumentando que eles não são racistas e que seu pai teria votado em Obama pela terceira vez se pudesse. Seu amigo Rod Williams (Lil Rel Howery) não acha que seja uma boa ideia, mas Chris acaba sendo convencido e ele a namorada iniciam uma viagem de carro rumo à casa dos pais de Rose.

No trajeto, Rose acaba atropelando um cervo que surgiu de forma repentina. Este é apenas um aperitivo para a sequência de acontecimentos estranhos que o filme nos reserva. Depois de terem chamado a polícia, o casal segue a viagem. Ao chegarem no destino, ambos são bem recepcionados por Dean (Bradley Whitford) e Missy Armitage (Catherine Keene), os pais de Rose. Apesar de falas inconvenientes surgirem durante as conversas, sendo a maioria delas ditas pela Sra. Armitage, Chris consegue manter uma boa comunicação com os pais de sua namorada. Mais tarde, quando Chris conhece Jeremy (Caleb Landry Jones), o irmão de Rose, a situação fica mais tensa. Nesse meio termo, o comportamento estranho dos dois empregados da casa, que por sinal são as únicas pessoas negras do local, mais uma vez indicam que aquele será um fim de semana atípico.

A Sra. Armitage, além de ser psiquiatra, também hipnotiza as pessoas. Na primeira noite em que dorme na casa dos sogros, Chris acorda à noite e resolve andar pelo local (que péssima ideia!). Basta alguns segundos para que ele se depare com uma série de situações esquisitas, que mais parece um sonho. Como se isso não bastasse, para aquele final de semana estava marcada a grande festa anual da família, ocasião em que eles comemoram o aniversário do pai de Dean. Tem oportunidade melhor para conhecermos a fundo a família Armitage? O mais legal do enredo do filme é que não sabemos de nada, e só vamos tomando conhecimento do que está acontecendo junto com o protagonista.

No primeiro filme em que atua como cineasta, Jordan Peele ganhou o Oscar de melhor roteiro origina. Além dessa categoria, Corra! concorreu aos prêmios de melhor ator, melhor filme e melhor diretor. O prêmio pelo roteiro não veio por acaso: o filme de suspense, com pitadas de terror, conseguiu entregar uma narrativa diferente, além de trabalhar muito bem a questão do racismo valado, presente nos seus mínimos detalhes. A parte final é eletrizante e Peele conseguiu entregar um bom final para história que foi por ele criada.


Considerações finais
A melhor forma de ir assistir Corra! é certamente não saber nada sobre o filme: quanto menos informações você tiver, melhor será a sua experiência. Desde o princípio, percebemos que algo de estranho está acontecendo, mas não somos capazes de descobrir o que é (e eu nem recomendo que você tente adivinhar do que se trata o mistério, apenas aproveite e deixe os acontecimentos fluírem naturalmente). Fato é que o climax do filme é muito bom: a partir do momento em que descobrimos a história macabra do longa, somos surpreendidos com uma sequencia dinâmica de acontecimentos, responsáveis até por causar uma certa aflição.

A excelente atuação de Daniel Kaluuya transmite muito bem os diversos sentimentos vivenciados pelo personagem ao longo da história. Os demais atores desempenham ótimos papeis, tendo também suas parcelas de contribuição para a excelência do longa. Apesar de não ser o foco do filme, Lil Rel Howery é o responsável pelas cenas cômicas do longa, o que gera um descontraída legal no tom mais sério da trama. Direção e fotografia nos entregam belas e intrigantes cenas, algo essencial para filmes do gênero. A trilha sonora é o ponto mais fraco, mostrando-se discreta durante praticamente todo o filme.

Nota
★★★★☆ - 4 - Ótimo


➜ Você pode ver análises de outros filmes clicando aqui.