Assim como a temporada de estreia, o segundo ano de Better Call Saul inicia-se com cenas do advogado Saul Goodman (Bob Odenkirk) após os acontecimentos da 5ª temporada de Breaking Bad. Retomando a história da 1ª temporada, Jimmy decide aceitar o emprego no escritório Davis & Main para continuar os trabalhos no caso Sandpiper (envolvendo os abusos cometidos pelo lar de idosos) em conjunto com a HHM. Com isso, o advogado ganha um carro da empresa e um apartamento corporativo espaçoso.

Como sabemos, Jimmy/Saul definitivamente não é uma pessoa que nasceu para cumprir regras. Para atrair clientes para o Davis & Main, Jimmy utiliza métodos que não agradam seu chef, Clifford Main (Ed Begley Jr.). Quando Jimmy se mostra insatisfeito com o seu novo emprego, e Kim (Rhea Seahorn) também manifesta interesse em sair da HHM, o casal resolve montar um escritório próprio, de forma que cada um trabalhará de forma independente, e não como uma equipe.

Quando Jimmy fica sabendo que Kim perdeu o caso Mesa Verde, ele faz uso de suas melhores habilidades para adulterar documentos que estavam na casa de Chuck (Michael McKean). Com isso, Chuk comete um erro e o caso volta para as mãos de Kim. Kim, apesar de descobrir o trabalho sujo feito por Jimmy, acaba o apoiando.

Personagens secundários, como Mike (Jonathan Banks), Chuck, Nacho (Michael Mando) e Howard (Patrick Fabian) são melhores trabalhados e aprofundados neste segundo ano. Nos flashbacks existentes nesta temporada, podemos ver que Chuck não tem uma boa relação com com Jimmy há muito tempo.

Assim como em Breaking Bad, Mike novamente rouba cena, sendo um dos personagens mais interessantes da série. Preocupando com o futuro de sua neta, Mike decide se aventurar em novas empreitadas para ganhar dinheiro, levando-o até um confronto corpo-a-corpo com Tuco Salamanca (Raymond Cruz). O envolvimento de Mike com o cartel traz a série um excelente clima de suspense e apreensão.

Uma das coisas que mais chamavam a atenção em Breaking Bad eram os ângulos das câmeras, que proporcionavam cenas muito bonitas e diferentes do que se vê em outras séries. Better Call Saul também faz muito bom uso desse recurso, proporcionando uma riqueza de detalhes para quem está assistindo. O final da temporada é emblemático, atiçando nossa curiosidade para ver o que virá pela frente.


Considerações finais
Better Call Saul tem como objetivo contar a história e a transformação de Jimmy McGill em Saul Goodman. Com um roteiro bem elaborado, boas atuações, direção e fotografia de altíssimo nível, o segundo ano de Better Call Saul é digno de receber nota máxima em nossas análises.

A série reuniu tudo o que deu certo na primeira temporada e aprofundou ainda mais o seu enredo que, por si só, já a torna interessante, não servindo apenas aos fãs de Breaking Bad. Apesar de ser um spin off, Better Call Saul segue o seu próprio caminho, o que é ótimo! Tudo se passa no universo de Breaking Bad, é verdade, mas a história de Jimmy tem uma pegada diferente daquela vista em sua série mãe.

Nota
★★★★★ - 5


Veja mais sobre Better Call Saul:
└ Análise da série Better Call Saul (1ª temporada)