O velho rico Simeon Lee, já bem debilitado de saúde, resolve reunir seus filhos, pela primeira vez, para a comemoração do Natal. Desavenças sempre existem nas famílias, e nesta não é diferente: um irmão não combina com o outro, um filho não gosta do pai devido aos maus-tratos que ele fazia com sua mãe... Mas o fato é que todos se preparam para ir comemorar o Natal junto com Simeon, inclusive sua neta, Pilar Estravados, que ele nem nenhum de seus filhos conhecia.

Na noite do dia 24 de dezembro, quando todos já estavam presentes na mansão Gorston Hall, barulhos de louças quebrando e móveis sendo derrubados, seguidos de um grito que acabou engasgado ou sufocado são escutados. Todos os que estavam na casa correm para o segundo andar, para ver o que havia acontecido.

A porta do quarto de Simeon Lee estava trancada por dentro. Após arrombaram a porta, a família se depara com Simeon Lee morto, cercado por uma poça de sangue e um corte na garganta. Pelo quarto havia sinais de luta e respingos de sangue. Quem teria matado o Sr. Lee? Suspeitos para o crime não faltam...

Hercule Poirot ia passar o Natal na casa de um amigo, em um vilarejo nas proximidades da mansão Gorston Hall. Sabendo que Poirot estava pelas redondezas, o coronel Johnson convida o detetive para auxiliar o superintendente Sugden a desvendar o assassinato do Sr. Lee. Juntos, os três vão até a casa onde tudo aconteceu e interrogam todos ali presentes.

No dia seguinte, 25 de dezembro, Hercule Poirot retorna à mansão Gorston Hall para continuar as investigações. O detetive desta vez adota uma postura diferente: ao invés de realizar interrogatórios, Poirot esperava até que as pessoas viessem falar com ele. Conforme a investigação avança, Poirot vai descobrindo pistas até chegar ao assassino.

Quem jamais poderia imaginar que aquele velho guardasse tanto sangue dentro de si?

Considerações finais
Agatha Christie é considerada a rainha dos crimes, e se tornou a romancista mais vendida de todos os tempos: O Natal de Poirot é a minha primeira leitura da autora. A narrativa é dividida em sete partes, cada uma delas se passando em um dia diferente; a história se ocorre entre os dias 22 a 28 de dezembro.

O enredo do livro é muito bom. Agatha apresenta muito bem todos os seus personagens, e as linhas de diálogo durante os interrogatórios de Poirot são incríveis. A autora também se preocupa em descrever bem todos os ambientes em que a história se passa. É uma leitura que te prende, levando você a criar altas teorias sobre quem seria o autor do crime. O final do livro é surpreendente, e com certeza te pegará de surpresa.

Nota
★★★★★ - 5 - Excelente